e-criativo

Economia Criativa
Plataforma de Documentação e Memória

Cidades Criativas: vocação e desenvolvimento
Livro - 2018

Este livro é parte de um processo amplo de reflexão sobre as cidades criativas e reúne o conhecimento resultante de projeto de pesquisa em andamento na Universidade Feevale, intitulado Cidades Criativas e
Turismo: análise das dinâmicas de produção e consumo turístico e seu reflexo no desenvolvimento, que teve fomento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq, contemplado na Chamada 43/2013 – Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas, processo Nº 408841/2013-3. Contou com a parceria de equipe de pesquisadores de três instituições de ensino superior brasileiras, a saber: a Universidade Feevale (Dra. Mary Sandra Guerra Ashton), a Universidade Federal de Viçosa – UFV (Dr. Magnus Luiz Emmendoerfer) e a Universidade de São Paulo – USP (Dr. Edegar Luis Tomazzoni), além de outros pesquisadores e acadêmicos bolsistas de iniciação científica.

Universidade Feevale, RS, Brasil

A Economia Criativa em organizações intensivas em símbolos – uma análise da Rede MS de Pontos de Cultura
Artigo - 2018

A Economia Criativa tem sido apresentada como a estratégia de desenvolvimento mais significativa da ultima década. A referida economia, intensiva em criatividade, caracteriza-se pela produção de bens e serviços simbólicos e artísticos cujo consumo apoia-se no patrimônio cultural e natural da localidade onde é prospectada. Objetivando caracterizar este cenário em organizações intensivas em símbolos, o presente artigo lançou mão da análise de conteúdo para identificar o avanço dessa nova agenda socioeconômica junto à Rede MS de Pontos de Cultura. Os resultados mostram que os Pontos podem figurar nichos produtivos com potencialidades reais no fortalecimento da Economia Criativa do estado uma vez que as organizações investigadas atuam em diferentes setores e lançam mão da contribuição do Turismo para escoar sua produção, incentivando relações que fortalecem a dinâmica econômica de ambos os setores

A Economia Criativa: um guia introdutório
Outros - 2010

A ECONOMIA CRIATIVA: UM GUIA INTRODUTÓRIO
por John Newbigin

Série Economia Criativa e Cultural

Observatório Iberoamericano do Direito Autoral

Publicado pela British Council

Políticas culturais no governo Dilma
Livro - 2015

Políticas culturais no governo Dilma / Antonio Albino Canelas Rubim,
Alexandre Barbalho, Lia Calabre, Organizadores. – Salvador: EDUFBA, 2015.
281 p. : il. – (Coleção Cult)

 

Organizadores: Antonio Albino Canelas Rubim, Alexandre Barbalho Lia Calabre 

Economía creativa en América Latina y el Caribe: Mediciones y desafíos
Outros - 2018

Qué países están midiendo el impacto de las industrias creativas y culturales en sus economías? Este informe se suma al esfuerzo del Banco Interamericano de Desarrollo (BID) para visibilizar el impacto de la Economía Naranja a través de la recopilación de los datos más recientes disponibles sobre las industrias culturales y creativas. El informe explora datos de los indicadores recientes de veinticuatro de países de América Latina y el Caribe e incluye recomendaciones para el levantamiento y la importancia de una sistemática medición. El BID espera que al poner en evidencia la diversidad de datos y sus respectivas metodologías los gobiernos puedan dar prioridad a la importancia de encontrar una metodología sistemática para la recopilación de los mismos. El poder seguir articulando el potencial de la Economía Naranja a través de datos confiables nos ayudará a seguir demostrando la capacidad de esta como generadora de empleo, de riquezas y de impacto social. 

NOTA TÉCNICA
Nº IDB-TN-01488
Agosto 2018

REGENERAÇÃO URBANA ATRAVÉS DA CULTURA FUNCIONA?
Outros - 2014

INVESTIGANDO POLÍTICAS Diálogos de economia criativa entre Brasil e Reino Unido

British Council Unidade de Economia Criativa
Série Investigando Políticas
Publicado pelo British Council

Desejável Mundo Novo: vida sustentável, diversa e criativa em 2042
Livro - 2012

Desejável Mundo Novo: vida sustentável, diversa e criativa em 2042

Autora: Lala Deheinzelin

1ª edição

São Paulo - SP (2012)

Edição: Claudia Deheinzelin

REPERTÓRIO DE FONTES SOBRE ECONOMIA CRIATIVA
Projeto - 2007

Este trabalho é parte integrante projeto de pesquisa Economia Criativa – em busca de paradigmas:
(re)construções a partir da teoria e da prática financiado pela FAPESB – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia e executado entre 2006 e 2007 no CULT - Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (UFBA).

UNESCO CULTURE FOR DEVELOPMENT INDICATORS
Relatório - 2017

Indicadores Culturais para o Desenvolvimento

UNESCO

Guia do Empreendedor Criativo
Outros - 2015

Guia do Empreendedor Criativo

O Ministério da Cultura (MinC) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) firmaram
acordo de cooperação cujo objetivo é a realização conjunta de projetos e ações nos seguintes eixos de atuação:
Gestão do Conhecimento para o Fortalecimento dos Segmentos e Territórios de Atuação da Economia Criativa
– produzir, sistematizar e difundir informações dos segmentos e territórios da economia criativa brasileira;
Formação em Gestão Empresarial e Qualificação Técnica de Profissionais e Empreendedores Criativos –
desenvolver ações de capacitação e qualificação profissional em competências na área de gestão de negócios
e empreendimentos, por meio da elaboração de conteúdos e metodologias, realização de cursos, seminários,
publicações, tais como o Guia do Empreendedor Criativo; e Promoção e Difusão de Empreendimentos e Negócios
– ampliar oportunidades de negócios para os empreendimentos criativos, possibilitando o acesso a diferentes
canais de promoção, distribuição e comercialização de bens e serviços. Tendo os empreendedores criativos
como público-alvo preferencial, este material sinaliza os primeiros passos no sentido de fornecer informações
relevantes acerca do universo da economia criativa

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae
Unidade de Gestão Estratégica e Cultura Empreendedora

Cultura viva : avaliação do programa arte educação e cidadania
Livro - 2010

Cultura viva : avaliação do programa arte educação e cidadania / Frederico A. Barbosa da Silva, Herton
Ellery Araújo: organizadores.- Brasília : Ipea, 2010.

THE 2009 UNESCO FRAMEWORK FOR CULTURAL STATISTICS (FCS)
Relatório - 2009

O Marco da UNESCO para Estatísticas Culturais (FCS) de 2009 é um esforço colaborativo entre o Instituto de Estatística da UNESCO (UIS) e o Setor de Cultura da UNESCO. Baseado em Quadro de Estatísticas Culturais de 1986, esta versão revisada do programa cultural da metodologia estatística leva em conta novos conceitos que surgiram desde 1986 no campo da cultura, incluindo aqueles relacionados às novas tecnologias - que têm influenciado a cultura e as formas como é acessada - patrimônio intangível, e práticas e políticas culturais em evolução.

Publicação de UNESCO Institute for Statistics (UIS)

Cadeia Produtiva da Economia do Artesanato – desafios para o seu desenvolvimento sustentável
TCC - 2010

Monografia apresentada ao Programa de Estudos Culturais e Sociais da Universidade Candido Mendes como requisito parcial para a conclusão do curso Lato Senso MBA em Gestão Cultural.

Autora: CLAIRE SANTANNA FREEMAN

Realização: Associação Brasileira de Gestão Cultural – ABGC

Cultura viva : as práticas de pontos e pontões
Livro - 2014

Cultura viva : as práticas de pontos e pontões / organizador: Frederico Augusto Barbosa da Silva.-- 2. ed., rev. e ampl. – Brasília:
Ipea, 2014.

Culture, Creativy and Cities
Livro - 2015

Trabalho organizado pelos professores Xavier Greffe e Emiko Kakiuchi . Contribuições teóricas e empíricas de Walter Santagata, Klaus R. Kunzmann e Ana Carla Fonseca sobre cultura, economia criativa e cidades.

II ENCONTRO INTERNACIONAL DE ECONOMIA CRIATIVA - RELATO DE EXPERIÊNCIAS
Outros - 2015

RELATOS DE EXPERIÊNCIAS DO II ENCONTRO INTERNACIONAL DA ECONOMIA CRIATIVA

A Economia Criativa: teoria e prática na elaboração de políticas culturais (The creative economy: theory and practice in the making of cultural policy), conferência de abertura proferida pelo Prof. David Throsby.

Encontro realizado pelo Observatório da Economia Criativa da Bahia (OBEC), no mês de novembro de 2015 em Salvador.

Economia Colaborativa: A emergência de uma sociedade pós-capitalista
Outros - 2015

ECONOMIA COLABORATIVA

A emergência de uma sociedade pós-capitalista

ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS

Centro de Estudos de Sustentabilidade

Numero 96

A Economia Criativa em época de crise: o desenvolvimento endógeno brasileiro na obra de Celso Furtado
Artigo - 2018

Na quase totalidade de sua obra o notável economista e ex-ministro da Cultura, Celso Furtado, exaltou a criatividade da nação brasileira como ativo estratégico para o surgimento de um novo modelo de desenvolvimento econômico, sustentável, inclusivo e endógeno. A trajetória analítica deste trabalho recorreu à revisão bibliográfica para destacar as contribuições teóricas de Celso Furtado acerca das potencialidades advindas de uma nova economia, intensiva em criatividade. Por sua vez, os recortes do pensamento furtadiano constituem um instrumento poderoso e atual para (re)pensar as estratégias de superação do subdesenvolvimento do país.

Autores: Adriano Pereira de Castro Pacheco e Elcio Gustavo Benini

Revista de Economia Política, vol. 38, nº 2 (151), pp. 324-337, abril-junho/2018

O Programa Cultura Viva e a economia criativa: análise do Moinho Cultural Sul-Americano
Artigo - 2012

Programa Cultura Viva tornou-se, nos últimos anos, uma importante política cultural de desenvolvimento local. A implementação da ação do Ponto de Cultura no estado de Mato Grosso do Sul representou um avanço significativo no fomento às iniciativas voltadas à economia da cultura e solidariedade. Várias organizações, hoje certificadas pelo Programa Pontos de Cultura, desenvolvem ações para inclusão produtiva e formação profissional, transferindo tecnologia social e de gestão aos participantes dos projetos, garantindo mecanismos que asseguram a autonomia de produção e do desenvolvimento através da participação e autogestão coletiva. Deste modo, este trabalho busca estabelecer uma análise da política pública do Programa Cultura Viva, tendo como objeto o Ponto de Cultura Moinho Cultural Sul-Americano, desenvolvido pela organização não governamental Instituto Homem Pantaneiro no município de Corumbá – Mato Grosso do Sul. Por último, uma breve análise sobre a importância da iniciativa popular e suas tecnologias utilizadas para tornar a autogestão uma alternativa real para superar o sistema capitalista através da adequação sociotécnica dos seus participantes.

Autor: Adriano Pereira de Castro Pacheco

Revista: Bahia anál. dados, Salvador, v. 22, n. 4, p.653-664, out./dez. 2012

Repensar as Políticas Culturais: Criatividade para o Desenvolvimento
Relatório - 2018


O novo Relatório Global da UNESCO, intitulado “Re | pensar as políticas culturais”, é uma ferramenta inestimável para a implementação da Convenção sobre a Proteção e Promoção da Diversidade das
Expressões Culturais de 2005. Essa Convenção, atualmente ratificada por 146 Partes, incluindo a União Europeia, orienta os esforços da UNESCO para consolidar as capacidades de criação, produção e disseminação de atividades, bens e serviços culturais. A Organização proporciona aos Estados o apoio necessário para que exerçam o seu direito soberano de implementar políticas públicas para o desenvolvimento de
setores de indústrias culturais e criativas que sejam fortes e dinâmicos. Com isso, a UNESCO está comprometida com o desenvolvimento de políticas públicas mais efetivas e sustentáveis nessas áreas.